BEM-VINDOS AO WEBSITE DA PROCLASS

Cursos, treinamentos e muito mais... Saiba mais »

A ProClass faz parte da história dos treinamentos Avid no Brasil. Saiba mais »

Conheça os cursos e certificações Apple oferecidos pela ProClass Saiba mais »

Aprenda a usar todo o potencial das poderosas ferramentas de processamento de áudio da Waves. Saiba mais »

Treinamento completo de Mixagem oferecido pela ProClass. Saiba mais »

 


O primeiro dia no Avid Media Composer –  Um guia básico aos usuários de FCP e Premiere

Artigo publicado na Revista Áudio, Música & Tecnologia. Para conhecer mais sobre a revista, clique aqui.

 Para saber mais sobre treinamentos e certificações em Avid Media Composer, clique aqui


O Avid Media Composer sempre foi (e talvez sempre será) tachado como um programa não muito intuitivo para a nova geração, acostumada a drag-n-drop e que nunca se deparou com um sistema de edição linear (fig. 1 e 2).

Fig 1 – Sistema de edição Linear Sony

Fig. 2 – Sistema de edição Linear Panasonic

Sua concepção foi voltada aos editores da geração passada, fazendo com que a transição para a edição não-linear fosse a menos traumática possível. Por isso, o que para muitos jovens não faz o menor sentido, é na verdade uma abordagem muito bem sucedida da Avid em traçar paralelos, usar termos, e virtualizar o mesmo ambiente de edição dentro do computador.

A boa notícia é que de tempos para cá, a Avid parece ter encontrado um bom meio termo… A ferramenta continua com a mesma concepção de sempre (perfeito para editores mais antigos), mas ao mesmo tempo incorporou diversos recursos que facilitam o aprendizado da geração Y, recursos estes mais naturais para usuários do Final Cut Pro e Adobe Premiere.

Vamos fazer deste artigo um guia básico para este público, com o objetivo de minimizar a importância do mito de que “Avid é difícil” ou “Avid é complicado”. Quanto menor importância dermos às diferenças entre os aplicativos, mais importância podemos dar ao processo criativo da edição.

Ler Mais →

Waves Vocal Rider – pilotagem de volume

Artigo publicado na Revista Áudio, Música & Tecnologia. Para conhecer mais sobre a revista, clique aqui.

Para saber mais sobre treinamentos e certificações oficiais em Waves, Pro Tools ou Mixagem, clique aqui.


Apesar do nome “Vocal Rider” dar a impressão de que este plug-in deve ser usado em “voz”, o seu conceito é muito mais amplo e permite que a dinâmica em qualquer fonte sonora seja controlada automaticamente. Neste artigo artigo vamos entender um pouco mais sobre este equipamento.

Vocal Rider Vs. Compressor

A idéia por trás do Vocal Rider é muito similar ao compressor. Ou seja, detectar e controlar nível de intensidade de um sinal. Mas se compressores já fazem isso, por que desenvolver algo como Vocal Rider?

Bem, em primeiro lugar, o compressor é disparado o periférico que inciantes tem mais dificuldade para entender o funcionamento, e por consequência, obter os resultados desejados. A interface do Vocal Rider é muito intuitiva e ter o feedback “visual” de como certo equipamento está processando o sinal é uma grande vantagem. Sem segundo, o Vocal Rider tem funções exclusivas que oferecem bem mais controle do que um compressor convencional. Porém é importante entender que apesar de utilizarem o mesmo princípio, são ferramentas complementares, do mesmo jeito que um equalizador gráfico pode atuar de maneira complementar a um equalizador paramétrico.

Ler Mais →

Audio mixer no Avid Media Composer

Artigo publicado na Revista Áudio, Música & Tecnologia. Para conhecer mais sobre a revista, clique aqui.

 Para saber mais sobre treinamentos e certificações em Avid Media Composer, clique aqui.


No artigo anterior, falamos sobre os plug-ins e recursos de áudio no Media Composer. Agora, vamos conhecer o mixer de áudio incluído na ferramenta, remodelado na versão 6.

Visualizando tracks

Por padrão, são apenas mostrados quatro tracks por vez e nem sempre isso é suficiente. Para poder acessar oito tracks de uma vez ou mais, clique no botão indicado na figura 1. Para editores com dois monitores, vale muito a pena configurar um workspace com o mixer na segunda tela.

fig. 1 – show tracks

Ler Mais →